sábado, 16 de fevereiro de 2013

Tratamentos para depois da gravidez

Tratamentos para depois da gravidez


Ser mãe é sem dúvida, uma das melhores etapas da vida. Contudo os primeiros tempos nem sempre são fáceis. Após o parto você sente-se dorida, esgotada, stressada e questiona-se sobre quando irá finalmente desaparecer a barriga e recuperar a sua antiga silhueta. Antes de mais, é importante saber que este e um processo que leva o seu tempo, por isso não stresse se, passado um mês, a barriguinha ainda continuar lá e, sobretudo, não desmoralize e descure os cuidados consigo, com a sua alimentação e com o seu corpo.


Muito pelo contrário. Este tempo, que é suposto ser um dos melhores da sua vida, deve ser vivido com alegria,paz e tranquilidade. Além de cuidar do bebé, é tempo de cuidar da mamã. Por isso, siga este “manual pós-parto” que preparámos para si, para que recupere a sua silhueta de forma saudável e no menor tempo possivel.


Como perder peso depois da gravidez


Na primeira semana pós-parto, notará que perde algum peso diariamente. No final da gestação, o útero chegou a pesar um quilo, pelo que está agora em plena involução, eliminando gradualmente os líquidos acumulados. Se ainda lhe sobram alguns quilos, saiba que a natureza é precavida, pois tratam-se de provisões de energia pera segregar o leite do bebé, para que não tenha de delapidar as suas próprias reservas.


Se não ficou com mais de quatro quilos, finda a gravidez, uma dieta cuidada é suficiente para recuperar o peso habitual. Contudo, se o objectivo é perder mais de cinco quilos, é provável que, após a amamentação, necessite da ajuda de um nutricionista, que adaptara o tipo de dieta ao seu caso, hábitos e gostos.


Períneo Tonificado


A episiotomia é um corte no períneo. músculo situado numa zona do corpo muito castigada pela gravidez. Não só suportou, durante nove meses, o peso do abdómen, como esticou bastante durante o parto. O períneo é um músculo um tanto negligenciado, mas fundamental na anatomia da mulher. Um músculo perineal flexivel e contráctil evita o desenvolvimento de incontinência urinária e permite que tanto a mulher como o homem desfrutem mais da relação sexual.


Continue com os exercicios Kegel que deverá ter aprendido durante a preparação para o parto. Trata-se, portanto, de contrair o esfíncter da uretra, vagina e ânus, durante uns segundos, relaxar e voltar a contrair. Estes exercícios, além de tonificarem o perínio, aiudam a expulsar os liquios (perdas de sangue, muco e tecido do interior do útero, durante o período puerperal). Comece por três repetiçoes, várias vezes ao dia. Vá aumentando até 10 repetições.


Seios mais firmes


O aumento do volume e peso do peito, devido à subida do leite, pode provocar a descaida do seio ou a aparição de estrias. Se manteve cuidados com o peito durante a gestação pode, e deve, mantê-los durante o puerpério. Se está a amamentar o seu filho, use um soutien de aleitamento, com alças largas e sem aros.


Se se sente mais confortável, não hesite em dormir com ele vestido. Aplique também um creme anti-estrias e mantenha a pele bem hidratada.Além disso, é importante que fortaleça os músculos peitorais. Sentada, junte as palmas das mãos à altura do peito (como se fosse rezar), faça força e solte. Repita dez vezes. Faça esta exercicio várias vezes ao dia.


Manchas na Gravidez e Como evitar estrias na gravidez


O cloasma – ou pano da gravidez – são manchas cor de café com leite, que surgem na testa, zona alta das bochechas ou por cima do lábio superior, e que, por norma, não desaparecem assim que o bebé nasce, podendo mesmo intensificar-se com o parto. Estas manchas devem a sua origem às hormonas, portanto, enquanto o organismo não voltar à normalidade, não saberá se vão desaparece ou não. Enquanto isso, convém que aplique um creme de maquilhagem com elevado índice de protecção solar, para evitar o escurecimento por acção dos raios solares.


Outro problema de pele comum na gravidez são as estrias – marcas avermelhadas, por vezes azuladas, que surgem na bariga, coxas, zona superior dos braços e nádegas. As estrias são um “rasgar” da pele, resultante da desfragmentação do colagénio e das camadas elásticas da pele. Surgem normalmente por volta das 35 ou 36 semanas de gestação, quando a gravidez está no auge e a dilatação da pele é maior. Se durante a gestação aplicou um tratamento anti-estrias, é pouco provável que surjam agora. Contudo, não descure o tratamento. Continue a aplicar o creme até, pelo menos, dois meses após o parto.


Queda de cabelo


Durante a gravidez, muitas mulheres experienciam um aumento dos pêlos, um célebre crescimento das unhas e cabelos mais encorpados e brilhantes. Contudo, durante o puerpério, muitas mulheres queixam-se de queda abrupta de cabelo, de fios enfraquecidos e baços. Se lhe cai muito cabelo ou se este tem um aspecto fraco e sem brilho, use champô e amaciador fortificantes e anti-queda, faça uma mascara uma vez por semana, e aplique um sérum anti-queda. No caso da perda capilar nâo remitir, peça ao seu médico análises de sangue, para verificar se sofre de anemia.


Massagem relaxante


Existem diversas razões para se deixar tentar por uma boa massagem: o mais importante, para a recém mamã, é a relaxação e o bem-estar que proporciona. Além disso, o massagista pode actuar sobre os nódulos energétìcos que se formam nas costas e no pescoço, quando os músculos se contraem, algo muito comum quando o bebé começa a pesar. Por seu turno, a drenagem linfática manual ajuda a eliminar líquidos e, aliada a uma dieta especial, permitir-lhe-á perder volume. Quanto às massagens refirmantes, conte com umas 20 sessões para obter resultados.


Barriga flacida depois da gravidez


Após o parto, a barriga estó mais fofa e flácida do que nunca 0 uso de cinta ajuda a melhorar o aspecto e alivia dores lombares, caso as tenha, contudo, não é solução. Comece por exercícios abdominais suaves. Neste período pós-parto, não é recomendável levantar as pernas ou erguer-se com os pés colados ao chão, uma vez que estes movimentos debilitam, ainda mais, o seu maltratado períneo. Deitada de costas, meta a bariga para dentro, colocando tensão nos músculos abdominais. Expire. A zona lombar deve ficar colada ao solo. Relaxe e inspire.


Contraia e expire. 0 objectivo é atingir 30 a 40 repetições diárias. Pode, igualmente, trabalhar desta maneira os músculos dos glúteos. Cerca de quatro a seis semanas após o parto, pode e deve retomar o exercício físico, duas a três vezes por semana, o que lhe permitiná recuperar o seu tónus muscular. Procure um centro clínico que ofereça planos de recuperação pós-parto, onde esta fase da vida da mulher é tratada com a mesma atenção que a preparação prévia para dar à luz. Se optar por um ginásio, não deixe de informar o seu monitor de que acaba de ter bebé, para que adapte a aula à sua situação.


Tratamentos esteticos


Apesar de alguns tratamentos poderem ser feitos no período pós-parto, o ideal “é esperar cerca de seis meses para que o corpo estabilize e, aí sim, fazer um diagnóstico e iniciar um programa que deve ser cumprido do princípio ao fim”, expìica Rui Marques, responsável da Hiper Estética. Para o peito flácido, muitos institutos de beleza propõem vários tratamentos, como máscaras de argila ou algas e electroestimulação dos músculos peitorais.


A solução pode também passar pelo laser, desde que realizado após o aleitamento, explica Rui Marques: “0 laser tonifica o peito e é o único que trata eficazmente as estrias. Contudo, só deve ser usado no peito quando a mulher terminar a amamentaqã0″. Caso as estrias surjam nas pernas, o tratamento pode ser feito no pós-parto.


Dernagem linfática


Às chamadas “aranhas vasculares desaparecem com laser e não tem de esperar muito para se ver livre delas: “Ao fim de 15 a 20 dias, usando um equipamento designado Hiperlaser 16, é possível tratar as varizes”, anuncia Rui Marques. Se, durante a gestação a drenagem linfática manual é uma das melhores formas de se ver livre dos líquidos em excesso, no pós-parto a melhor arma é a drenagem linfática com laser “Não sou contra a drenagem linfática manual, pois o método é válido, mas enquanto que a drenagem manual trabalha apenas a 1,5 cm de profundidade, na drenagem a laser chegamos aos 8 cm de profundidade, atingindo todas as camadas de pele, gordura, sangue e músculo, logo é muito mais eficaz”. explica Rui Marques. Segundo o especialista, o laser pode ser realizado “logo após o parto, uma vez que estamos a trabalhar nas pernas, drenando tudo o que são líquidos, pelo que não há contra-indicaçoes mesmo que esteja a amamentar”.


Como perder a barriga depois da gravidez


Para recuperar um ventre liso, a mesoterapia é uma técnica muito utilizada por diversas clínicas, pois actua na gordura localizada, para que esta seja neutralizada pelo organismo como fonte de calorias, consiste em colocar, na derme, pequenas quantidades de um medicamento homeopático ou de outro lipo, através de uma série de micro injecções. Passados alguns dias, uma massagem de drenagem ajuda a eliminar os líquidos. As sessões, a cargo de um especialista, costumam a ser semanais, até se atingirem os efeitos desejados. A electroterapia, também denominada ginástica passiva, consegue fortalecer os músculos, graças a pequenas descargas de corrente eléctrica de baixa intensidade.


Custa menos esforço, mas mais dinheiro e tempo, são necessárias umas 20 sessões, de uma hora cada, para começar a ver resultados. A sessão de electroestimulação finaliza com uma massagem o local, com produtos adelgaçantes e reafirmantes. Para combater a celulite e a flacidez, acescenta Rui Marques, “há que, antes de mais, distinguir as duas e perceber se o que a mulher tem é, de facto, celulite ou flacidez, pois são coisas distintas”. Assim, diz, o mais indicado é “aguardar que o corpo estabilize, fazer um diagnóstico através da termografia, verificar se se trata de celulite ou de flacidez, e depois aplicar um programa especifíco.


Adeus ao pano e aos pêlos


Para tratar o “pano da gravidez”, a arma mais eficaz é o laser. Mais uma vez, destaca Rui Marques, “é preferível esperar seis meses após o parto”. Apesar de ser possível fazer o tratamento com laser logo após o parto, uma vez que não existem contra-indicaçoes, Rui Marques destaca que “se se esperar que o corpo volte ao lugar, temos resultados com uma sessão, em vez de serem necessárias duas ou três, se as alterações hormonais continuarem”. Os pêlos em excesso são, por norma, outra das grandes preocupaçoes das recém mamâs.”Há mulheres com muitos pêlos que, durante a gravidez, perdem-nos quase todos, e há outras que quase não têm pêlos, mas que durante a gestação, as alterações hormonais fazem com que os pêlos inactivos se tornem activos”, explica Rui Marques. Esta pode ser ou não uma situação passageira.


Caso os pêlos não desapareçam, uma das opções é recorrer à depilação definitiva. Mas, relembra o especialista, “após o parto, a mulher deve deixar o corpo e as hormonas estabilizarem, no mínimo seis meses, antes de fazer uma depilação definitiva, para ver se é válido, se os pêlos retrocederam ou não e, assim, iniciar o tratamento de preferência sempre após a menstruaçào, que é quando os pêlos estão na fase anagénica, pois só nesta altura eles podem, de facto, se eliminados pelo laser ou por qualquer outra tecnologia”.

Sem comentários: