domingo, 23 de maio de 2010

Tipos de contracepção

Que tipo de contracepção tem usado?


É possível que os metodos anticoncepcionais que utilizou no passado possam ter afectado a sua fertilidade. Peça ao seu médico para fazer análises se suspeitar de que poderá haver qualquer problema.


A Pílula , constato que não é invulgar que as mulheres que começam a tomar a pílula aos 16 anos e que deixam de tomá-la 15 anos depois com a intenção de constituirem familia, descobrem que não fazem a minima ideia do tempo que o corpo precisa para voltar ao normal em termos harmonais. As mulheres costumavam ser aconselhadas a esperar 3 meses depois de deixarem de tomar a pílula antes de tentarem engravidar, mas as pesquisas actuais indicam que isso não é necessário e que, na verdade, o corpo é mais fértil logo após deixarem de tomar a pílula, porque este é o momento em que se regista um maior impulso harmonal. Depois deste, pode então demorar uns tempos - talvez até 18 meses - até que o equilibrio harmonal seja restabelecido, por isso a concepção pode ser adiada. Isso acontece com muita frequência se tomou a pílula combinada (estrogénio/ progestogénio) em oposição á pílula apenas de progestogénio (é a forma síntetica da hormona progesterona).


Injecções contraceptiveis, esta forma de contracepção hormonal - a Depo Provera é a mais conhecida - é ministrada por intermédio de uma injecção trimestral. Se estiver a tentar engravidar, é muito comum demorar 12 meses ou mais para conceber após a última injecção, uma vez que os  efeitos da injecção, que incluem alterações no padrão do muco, podem ultrapassar um intervalo de três meses. Se necessário, use um método diferente de contracepção, como por exemplo um preservativo, para retardar a gravidez até uma altura apropriada depois da sua última injecção.


Dispositivo intra-uterino (DIU), existe um maior risco de doença inflamatória pélvica (DIP) para as mulheres que colocaram um DIU e isso pode afectar posteriormente a sua fertilidade. No entanto , os riscos estão bastante relacionados com o estilo de vida, por isso as mulheres que têm um DIU e possuem um relacionamento estável com um único companheiro correm um risco  mínimo. De igual forma, os novos DIUs reduzem mais ainda a probabilidade de ocorrência de DIP e o mesmo acontece com o Mirena,  um dispositivo de libertação intra-uterina de progestogénio, visto que este engrossa o muco cervical.


APARELHO MIRENA


O aparelho mirena é um dispositivo anticoncepconal que liberta progestogénio .


Quando estiver pronta para engravidar, peça ao seu medico para lho retirar. O seu ciclo menstrual voltará ao normal dentro de poucos meses .


Implantes, estes impedem a ovulção através da libertação lenta de progestogénio a partir de uma vareta ou tubo flexível subcutâneo, de tamanho ajustável. À semelhança das outras formas de contracepção hormonal, o muco cervical também é afectado e pode demorar um pouco até que este volte ao normal e que  o equilibrio hormonal seja restabelecido por completo. Há outras maneiras de propocionar uma contracepção hormonal, como as que se usam num sistema intra-uterino ou num adesivo contraceptivo (que contém estrogénio e progestogenio). Se utilizar um destes métodos, deverá informar-se com o médico que está a segui-la neste assunto sobre o tempo previsto para o regresso da fertilidade.


Preservativo, este exerce qualquer efeito na fertilidade futura. No entanto, a sua saúde sexual está protegida sempre que usar preservativo, por isso ,assim que parar de usar este método anticoncepcional, vai precisar de assegurar-se de que não se expõe a nenhum risco de apanhar uma infecção sexualmente tramissível (a clamídia) que pode prejudicar a sua fertilidade.

Sem comentários: