quinta-feira, 11 de março de 2010

Uma interrupção da gravidez (aborto) anterior pode ter algum efeito?

Uma interrupção da gravidez (aborto) anterior pode ter algum efeito na gravidez?

A decisão de interromper uma gravidez, seja qual for a razão, raramente é tomada de ânimo leve. Hoje em dia, esse procedimento é bastante seguro: apenas 0,5 por cento das mulheres constatam que são incapazes de conceber depois de um aborto e isso em geral acontece porque elas contrairam uma infecção durante ou depois da intervenção. Em muitos casos, fazer um aborto não causa impacto físico na fertilidade futura de uma mulher nem aumenta as suas hipóteses de aborto espontâneo.

No entanto, pela minha experiência, para algumas mulheres um aborto pode deixar uma marca psicoÌógica durante muitos anos - por vezes sem que a mulher sequer se aperceba disso - e, como tal, pode interferir na sua posterior capacidade de engravidar. Examino com regularidade mulheres que acreditam ter superado as repercussões psicológicas de um aborto que fizeram quando eram mais novas. Contudo, quando discutimos
as coisas com mais profundidade, elas percebem que, na verdade, ainda não aceitaram a sua decisão e isso pode impedi-las de se decidirem sobre outra gravidez. Isto pode ser particularmente difícil de enfrentar se a gravidez que foi interrompida era de um filho do seu actual companheiro. Assim que estas mulheres reconhecerem os seus sentimentos, muitas vezes são capazes de "se desprenderem" e de resolverem conceber outro filho.

Sem comentários: