terça-feira, 30 de março de 2010

Que doenças afectam a fertilidade masculina?

Quais são as doenças que afectam a fertilidade masculina?

Alguns problemas clínicos subjacentes podem afectar a fertilidade de um homem. O caso mais comum é resultarem numa baixa contagem de espermatozoides (oligozoospermia), mas a ausência de espermatozóides (azoospermia) também pode suceder. Certos problemas clínicos também podem conduzir a uma disfunpo eréctil. 

Problemas clinicos que podem causar impacto sobre a fertilidade masculina
Doença                                                                 Efeito na fertilidade

Epilepsia - Os medicamentos antiepilépticos podem afectar a libido e a contagem de espermatozóides.

Papeira - se contraiu papeira após a puberdade ou já na idade adulta, poderá ter desenvolvido uma orquite, ou inflamação testicular, e isso pode ter afectado a sua capacidade de produzir espermatozóides.

Diabetes - Esta doença pode causar problemas erécteis.

Tensão arterial alta - Os homens com tensão alta sentem mais dificuldade em ter uma erecção. Além disso, certos medicamentos denominados bloqueadores dos canais de cálcio, que são usados para tratar esta doença, podem prejudicar a capacidade dos espermatozóides em fecundar o ovulo.

Cirurgia, por exemplo para reparar uma hérnia inguinal - lsto pode bloquear acidentalmente o canal deferente e poderá haver danos daí resultantes para a barreira sangue-testículo, o que significa que o sangue e o tecido testicular entram em contacto. lsto pode então causar impacto na produção de espermatozóides.

Reversão de vasectomia - Nem sempre é bem sucedida e não é recomendada menos de 5 anos após a cirurgia. Além disso, alguns homens produzem anticorpos ao esperma no seguimento de uma vasectomia e estes atacam os espermatozóides mesmo depois de uma reversão.

Algumas infecções sexualmente transmissíveis, tais como a clamídia e a gonorreia -  Estas podem causar doenças como a prostatite, a uretrite e a epididimite. Em resultado disso, ductos como a uretra, o canal deferente, ou o epidídimo podem ficar inflamados e posteriormente bloqueados, ocasionando danos irreversíveis na fertilidade de um homem.

Varicocele - Esta é uma doença semelhante às varizes e afecta a área testicular. Pode afectar a produção de espermatozóides como resultado de uma redução de fluxo sanguíneo no testículo afectado.

Certas (raras) anomalias cromossómicas - Estas podem causar infertilidade masculina, ou porque podem resultar em problemas congénitos (como por exemplo a ausência de canal deferente, que está associada à fibrose quística), ou porque há uma inexistência de espermaiozóides (azoospermia). Esta última doença pode ser causada, por exemplo, pela síndrome de células de Sertoli ou pela síndrome de Klinefelter (resultando ambas na incapacidade de produzir espermatozóides).

Ejaculação retrógrada - Em vez de ser impulsionado através da uretra e para fora do pénis, o esperma é empurrado para trás, para a bexiga. Hoje em dia é possivel fazer uma cirurgia para recuperar este esperma e, recorrendo à concepção assistida, a fecundação de um óvulo continua a poder ocorrer.

Lesões desportivas - Num desporto de contacto como o râguebi ou o futebol, um acidente infeliz envolvendo um pontapé na área genital pode prejudicar a capacidade dos testículos em produzirem espermatozóides.

Torção ou torcedura dos testículos - Se o cordão espermático de onde pendem os testículos no escroto for torcido, então a irrigação sanguínea dos testículos pode ser cortada, causando fortes dores. Esta doença pode ser muito séria e, se não for tratada de imediato, pode resultar em danos permanentes nos testículos, afectando assim a produção de espermatozóides. No entanto, a fertilidade não deverá ser afectada, uma vez que o outro testículo é capaz de produzir esperma suficiente.

Sem comentários: