quinta-feira, 4 de março de 2010

Já alguma vez teve um aborto Espontâneo?

Já alguma vez teve um aborto Espontâneo?

Um aborto espontâneo, definido como a perda de uma gravidez durante as primeiras 24 semanas de gestação é um problema comum. Cerca de 15 por cento das gravidezes confirmadas acabam em aborto espontâneo; em 98 por cento dos casos, isto ocorre nas primeiras 12 semanas e é o resultado de uma causa esporádica, pouco provável de acontecer de novo. Depois de um aborto espontâneo, as suas hipóteses de ter uma gravidez bem sucedida continuam a ser de 80 por cento.

Posto isto, as taxas do aborto espontâneo aumentam muito com a idade e, se você tiver mais de 35 anos, talvez queira pedir ao seu médico para fazer exames após um primeiro aborto espontâneo (em geral os médicos só recomendam exames após um terceiro aborto espontâneo).
Desta forma, poderá excluir quaisquer causas subjacentes.
Perder um bebé desta maneira é muitas vezes devastador em termos psicológicos. Poderá precisar de apoio e de aconselhamento profissional para ajuda-la a lidar com o lado psicológico da perda da sua gravidez e ajudá-la a conceber outra vez. Uma alimentação e um estilo de vida saudáveis, aliados a terapias complementares tais como acupunctura, técnicas de relaxamento e ioga, vão garantir que estará nas melhores condições físicas e mentais possíveis para uma futura gravidez.

Apenas 1 por cento dos casais sofre de aborto espontâneo recorrente, que é definido por três ou mais perdas de gravidez consecutivas. Se tiver a pouca sorte de se encontrar nesta situação, é melhor consultar uma unidade especialista em aborto espontâneo recorrente num hospital, onde o pessoal bastante experiente lhe fará os exames necessários para descobrir se há algum problema, além de que também a tratará com a atenção e o carinho que, sem dúvida, você precisa agora.

Estudos demonstraram que o facto de se entregar nas mãos de especialistas aumenta de forma significativa as hipóteses de uma posterior gravidez bem sucedida.

Sem comentários: